domingo, 20 de abril de 2014

Brote, cresca, dê renovos quando for cortado



Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos.
Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco, ao cheiro das águas brotará e dará ramos como a planta nova.
O homem, porém, morre e fica prostrado; expira o homem e onde está?
Jó 14: 7-10.

As árvores são um exemplo de vontade de viver. Elas querem brotar, crescer, reviver. Quando costada, a árvore não morre! Não cessa sua atividade, não coloca um fim no seu processo de desenvolvimento, expansão e crescimento. Não fica parada no tempo e no espaço se lamentando. Muito menos toma decisão baseada nos fatos trágicos da sua vida: “Por que fui cortada, porque mexeram comigo, então não quero mais”. Nem fica cheia de orgulho próprio dizendo: “Ainda que me dêem uma nova chance, ainda que me façam um convite oficial – eu não quero mais”.
A árvore não tem olhos mas enxerga que há esperança. Até sua raiz pode envelhecer, seu tronco pode estar ali estendido no chão, completamente esquecido e desprezado. O que ela tinha de mais precioso, cortado, abandonado, jogado e desprezado! Ainda assim ela decide brotar, ela decide construir um novo tronco novamente.
A árvore está disposta a esquecer o passado. Esquecer quem a cortou e quais os motivos alegados para o seu corte. A árvore deixa que todos os sentimentos sejam apagados, para ter um sentimento novo, um sentido novo. Ela sente o cheiro das águas – ainda que a água não tenha cheiro – ela sente e dá ramos como da primeira vez, como no primeiro amor. A árvore decide pela vida. A árvore decide pelo amor. Pois ela vai empenhar-se em crescer, ficar forte. Vai dar flores que perfumem o mundo. Vai dar frutos que sirvam de alimento.

O ser humano, porém, quando atingido, quando ferido, quando cortado, morre. Fica prostrado, se recusa a levantar. Não esquece, não perdoa de verdade, apenas finge e engana a si mesmo. O ser humano morre por que foi cortado, morre por causa da forma que foi cortado. O ser humano se encontra completamente despreparado para o corte. Uma erva, um arbusto, um espinheiro, uma árvore qualquer tem muito mais força de vontade do que o ser humano.

Ei ser humano! Venha para a escola da natureza. Venha aprender com as sábias árvores! Quando você for cortado, reaja como uma árvore. Brote em alguma outra área. Quando você ver seu tronco cortado, jogado e esquecido no chão. Não pense que tudo está acabado! Porque o que o homem corta é apenas a parte visível e palpável.
A força de crescer continua lá dentro, no profundo, na raiz. Ela não pode ser atingida pelo corte. O corte deve ser tomado como a oportunidade de crescer e brotar em muitas outras áreas ainda não exploradas. Vamos ser humano! Brote e dê ramos como uma planta nova.

http://osvaldoalves.blogspot.com/

Nenhum comentário: