segunda-feira, 22 de junho de 2015

A pá e a enxada





“Há muito tempo atrás ouvi a aplicação de uma figura de linguagem interessante. Sobre o hipotético uso da pá e da enxada”. Por exemplo, quando estamos na igreja e ouvimos uma palavra que gostamos, então usamos a enxada e puxamos figuradamente com a enxada essa palavra para nós. Mas quando é uma palavra no âmbito da exortação usamos a pá, e jogamos aquela palavra para os outros, até mesmo para pessoas que não estão ali na igreja naquele dia.
Entretanto, outro dia presenciei, nesse mesmo contexto um outro uso na aplicação da pá, O fulano estava advertindo o seu companheiro, o Beltrano de que este estava usando muito da pazinha. Toda palavra que vinha para o beltrano, este usava a pá e jogava para o fulano. Então o fulano estava advertindo o beltrano dizendo assim: - Olha a pazinha! Você está usando a pazinha!

Considerando aquilo pude pensar um pouco mais a respeito. “Às vezes usam contra as nossas vidas vários tipos de pá, a pazinha de lixo, e até a pá-carregadeira tentando nos entulhar e sobrecarregar, seja de regras sobre regra, doutrinas de homens, exigências descabidas, notícias desnecessárias, informações que só trazem preocupações, enfim, uma infinidade de pazinhas estão por aí a trabalhar, infelizmente bem poucas no intuito de construir, mas a maioria para entulhar.
Então, o que fazer com as pazadas e pazinhas carregadas das quais somos alvo.
Existe um caminhão chamado caminhão caçamba, ou melhor caminhão basculante, que vem da palavra básculo, que é uma peça de ferro apoiada num pino de forma a abrir e fechar uma comporta. Esse tipo de caminhão é usado para carregar terra, areia, qualquer coisa a granel, por ser fácil e prático de descarregar.
Pois bem, se usarem com você a pazinha, a pá carregadeira, tentando te entulhar e te sobrecarregar, seja como um basculante, levante os seus ombros, deixe todo o entulho cair para trás e siga em frente no seu caminhar. Descarregue todo o conteúdo negativo, inoportuno ou desnecessário das pazinhas alheias. Na realidade, a pazinha é usada com um julgamento equivocado. Esquivando-se a si mesmo da responsabilidade e preocupando-se de forma indevida com a vida do outro.
Deus não necessita de alguém com uma pá, a fim de redirecionar o que Ele falou para outrem. E infelizmente a pá tem sido usada dentro das igrejas. Muitas vezes Deus fala algo para uma pessoa, para a sua vida particular, aí ela pega aquela palavra, não se toca que é para ela, e passa na igreja, e ainda tem o descabimento de falar assim, eu estava lá em casa assim e assim e Deus falou comigo... Quer dizer a palavra que Deus falou comigo é comigo e para mim, e é diferente da palavra que Deus me mandou ministrar.
Confundir a pá com a enxada, ou trocar a enxada pela pá tem sido um dos grandes equívocos no meio evangélico.
Façamos, portanto o uso da enxada, puxando para nós a palavra que procede da boca de Deus.

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.