sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Lavando as redes



Lucas 5: 1-2.
"Aconteceu que, ao apertá-lo a multidão para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré;  e viu dois barcos junto à praia do lago; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes."

         Jesus Cristo estava em plena atividade ministerial. Naquele momento a multidão de seguidores, a multidão de ouvintes havia crescido, havia se expandido a tal ponto que iam empurrando Jesus, comprimindo Jesus para a praia junto ao lago de Genesaré. As pessoas queriam ouvi-lo, buscavam suas palavras, buscavam ser ministradas, buscavam o alcance de seu ministério.
         Então, olhando de cima, observa-se um contraste. Ali perto, pescadores um tanto quanto desanimados estavam por findar uma noite de trabalho improdutiva. Haviam trabalhado a noite toda, haviam se esforçado muito. O passar das horas, o fracasso da jornada os havia compelido até à praia, a mesma praia que o sucesso do ministério havia compelido Jesus. Eis aí o ponto onde o ser humano em seu fracasso é encontrado por Jesus em Seu sucesso.
         Jesus estava tendo sucesso o suficiente mas não ignorou aqueles pescadores fracassados. Discípulos poderiam ser extraídos daquela multidão, mas Jesus estava empenhado naquela manhã em resgatar aqueles pescadores que nada tinham conseguido daquela vez. No entanto, uma coisa bastante interessante há para se notar na atitude daqueles pescadores. Eles estavam lavando as redes.
         Se estivessem desanimados, se estivessem decididos a desistir simplesmente teriam deixado as redes sujas como estavam, ali dentro do barco ou num lugar qualquer. Mas mesmo depois de uma noite no mar, cansados e sem motivos para se alegrar ou continuar estavam lavando as redes, deixando-as prontas para um outro dia, para uma outra jornada. Eles pretendiam retornar, planejavam continuar mais tarde. Depois de lavar as redes iriam para casa, se alimentar, dormir um pouco e mais tarde tomar em suas mão as redes lavadas e voltar a pescar.
         E é assim que deve ser quando findamos uma temporada num ministério. Remamos para a praia, terminamos a noite ou dia, desembarcamos e aí precisamos lavar as redes. Tudo o que trouxemos de lembranças negativas tem que ser lavado. Tudo o que não aconteceu do que almejávamos tem que ser lavado. As frustrações, os impedimentos, os desastres, os problemas tem que ser lavados. As redes precisam estar limpas.
         Lavar as redes significa esquecer o passado e considerar um novo dia, um novo amanhã. Lavar as redes significa estar disposto a recomeçar. Lavar as redes significa não ser paralisado pelas coisas que não deram certo, lavar as redes significa acreditar, estar disposto a tentar outra vez. Guardar as redes sujas é um mal para si mesmo.
         Quando lavamos as redes, ficamos limpos e prontos para a nova etapa que Jesus tem nas nossas vidas. Quando lavamos as redes Jesus nos chama para um trabalho muito mais significativo. Você que terminou uma jornada, você que terminou um relacionamento, você que saiu de um ministério, você que por alguma razão deixou suas atividades e atracou na praia, não deixe de lavar as redes. Não deixe as redes sujas com as experiências amargas e frustrantes da última temporada. As redes precisam ser limpas de lembranças, de sentimentos, e até mesmo de pessoas que trouxeram ou provocaram embaraços e prejuízos.
         Lave suas redes. Fique pronto, fique pronta. Jesus já se encontra na mesma praia que você está. Jesus está chegando com uma proposta nova, com um propósito novo, e dessa vez suas redes, se estiverem limpas, lavadas vão se encher na pesca maravilhosa que Jesus vai prover.

Nenhum comentário: